sexta-feira, 7 de novembro de 2008




Hoje numa conversa descontraída com um colega sobre desilusões e traições, começamos a refletir. Eu um pouco fria e realista, ele um pouco dramático e sonhador... Mas por incrível que pareça entramos em uma conclusão...
Falávamos das pessoas que magoam e que traem. Julgamos-nos fora dessa realidade, mas às vezes depositamos tal confiança nelas sem saber das suas personalidades e elas nos decepcionam. E quanto mais confiamos, mais aumenta o tamanho da decepção. Mas o que fazer? Deixar de confiar em todos? Também existem pessoas leais e confiáveis, temos que melhor escolhe-las. E quando temos a certeza que ela é digna de nossa confiança e erramos? Não somos perfeitos em nossos julgamentos, as pessoas não são perfeitas. E infelizmente aprendemos errando Temos que perdoá-las, caso contrario fazemos mal à nós mesmo, porque é muito triste ter uma mal dentro de si. Também não é da noite para o dia que conhecemos alguém e o mais importante, existem coisas que não falamos a ninguém. “Tem coisa que agente não conta nem duas vezes a nós mesmo”. E a ultima é a mais segura, porque não podemos nós trair a menos que sejamos loucos ou desajustados. Guardamos o confidencial e assim nunca seremos surpreendidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário