sábado, 8 de agosto de 2009

Amor e ódio

Dois sentimentos exageradamente distintos e incalculáveis. Sentimentos que não podemos ter pela mesma pessoa em um mesmo momento... É ... Não podemos sentir amor e ódio por alguém. Eu discordo que alguém possa amar tanto que um dia chegue ao ponto de odiar. Quem ama não odeia. Quem ama perdoa, releva, aceita, respeita. Amor não é doentio, ele é sadio é confortante e confortável e nunca em hipótese alguma pode se transformar em ódio. O amor é livre... Quem ama quer o amado feliz e nunca o seu mal ou sua infelicidade... Mesmo que seja longe de si. Quem ama quer saber que seu amado sorrir... que vivi feliz...
Vejo o amor como o mais nobre sentimento. Vejo o amor de Deus conosco, com o amor que deveríamos ter pelo próximo, seja com quem for. Deus com sua imensa capacidade de amor, nos deixa livre para tomar-mos nossas próprias escolhas, mesmo quando a escolha não o agrada. E mesmo assim Ele ainda consegue sentir o mesmo amor de antes. Talvez até mais... Mas deixar de amar por um erro? Por uma falha? Nunca. Ele nos ama independente de qualquer atitude. Ele nos perdoa. Ele nos quer bem.
Assim é o meu olhar singelo do amor, algo que os nobres têm no coração. Algo que jamais ficará ao lado da razão, que é totalmente sem explicação. É simplesmente Amor... Simplesmente tudo. É algo que jamais anda junto com o ódio.